Saúde

Embora muitas pessoas evitem o arroz em sua dieta devido ao fato de ser carboidrato, ele pode apresentar diversos benefícios para o organismo, e ser um forte aliado para manter a saúde.

Alguns pesquisadores, em vista da nova onda de dieta sem glúten, decidiram investigar mais a fundo as propriedades do arroz, e ficaram surpresos.

A característica mais impressionante desse cereal é sua vasta quantidade de elementos essenciais ao organismo, que quando aliado a alguma leguminosa, se torna um prato muito nutritivo.

É composto por amido,  diversos minerais e vitaminas, sendo muito importante para manter o organismo saudável de uma maneira geral.

Uma pesquisa realizada no Rio de Janeiro apontou que o consumo diário de arroz, em quantidade equilibrada, ajudou pacientes com diabetes e pressão alta.

Foi constatado, além disso, que o típico prato brasileiro, é muito bom para prevenir o diabetes e manter uma boa saúde.

Existem muitos tipos de arroz, cada qual com suas propriedades específicas, sendo o polido o mais consumido no Brasil, e o menos nutritivo.

O polido é apenas uma fonte de carboidratos, pois os nutrientes ficam na casca, sendo está removida no momento de polir.

O integral é uma ótima fonte de fibras alimentares, óleos essenciais e minerais, ajudando a manter o intestino regulado e diminuindo a absorção de gordura pelo organismo.

O negro merece muito destaque, pois é fonte de antioxidantes, prevenindo doenças crônicas, além de possuir o dobro de fibras do arroz integral.

O vermelho, por sua vez, apresentado monocolina, ajudando na prevenção de doenças cardiovasculares, redução do colesterol e no momento da digestão.

Por último, temos o arroz selvagem, que tem como característica ser muito rico em fibras, aminoácidos e proteínas, sendo um excelente auxiliar em dietas restritivas.

O selvagem não é exatamente arroz, mas sim um tipo de grão muitas características parecidas, que acabou levando o nome.

 

 

Saúde

A gengivite é o primeiro estágio das enfermidades periodontais. É caracterizada pela inflamação nas gengivas que altera os tecidos que dão sustento aos dentes. A principal causa da gengivite é a falta ou a má higienização bucal. A gengivite costuma progredir de forma silenciosa, não causando dores, mas a alteração da coloração da gengiva é visível. A inflamação pode causar sensibilidade extrema além de sangramentos. Segundo a Associação Brasileira de Odontologia (ABO) cerca de 90% dos adultos possuem gengivite e não estão cientes deste fato.

Felizmente, a gengivite é uma enfermidade que possui cura se for tratada da forma correta, para isso, em caso de desconfiança, é recomendado ir a um dentista o mais rápido possível. O tratamento para a gengivite tem como principal objetivo reverter os sintomas e impedir que a inflamação evolua para algo mais sério. Normalmente o primeiro passo do tratamento consiste em uma limpeza dentária a fim de remover o tártaro e as placas bacterianas contidas nos dentes.

Caso o dentista ache pertinente, receitará alguns remédios para o tratamento da gengivite. O tratamento com remédios para esta enfermidade deve ser contínuo até que os sintomas desapareçam por completo. Entre os remédios para o tratamento estão anti-inflamatórios e antibióticos para os casos mais graves.

A melhor prevenção para a gengivite é uma boa higienização bucal. Contrariando a crença de milhares de pessoas, a ABO não recomenda o uso de água oxigenada no tratamento da gengivite, visto que o uso desta substância pode acarretar em lesões mais graves, piorando consideravelmente o quadro.

Alguns cremes dentais e enxaguantes bucais são recomendados para o tratamento da gengivite. Mas é importante consultar com um dentista antes de comprar qualquer creme dental ou enxaguante bucal, pois o profissional recomendará o produto que melhor se encaixar no quadro do paciente.

Problemas de Saúde, Saúde

Como prevenir o câncer de mama – 3 ações que você deveria tomar

Os números são espantosos. Uma em cada 8 (12,4 por cento) mulheres dos EUA vão desenvolver câncer de mama durante sua vida, de acordo com o Instituto Nacional do câncer. A Fundação Susan G. Komen para o câncer de mama estima que aproximadamente 255.000 pessoas serão diagnosticadas com câncer de mama apenas nos EUA este ano, e mais de 40.000 vidas serão perdidas para esta doença. No Brasil, a realidade não é nada diferente.

Entretanto, há várias coisas que as mulheres podem fazer para prevenir a doença que aterroriza muitas mulheres a partir dos 40 anos, sobretudo. Aqui você verá quais são as principais recomendações médicas para diminuir a vulnerabilidade do corpo para o desenvolvimento desse tumor.

Primeiro o mais importante: Conheça a sua história familiar

O procedimento padrão nos dias hoje para quase todos os tipos de médico que você vê para inquirir sobre a sua história familiar, como a genética tem sido provado ser um contribuinte chave para o risco de câncer de um indivíduo—e é especialmente importante quando se trata de câncer de mama. Algumas mulheres (e homens) têm um risco especialmente elevado de desenvolver câncer de mama relacionado à predisposição hereditária, história de tratamentos de radiação para a parede torácica durante a adolescência ou início da idade adulta, ou por causa do tecido mamário ‘hiperativo’ que é às vezes detectado em biópsias de mama.

Realizar exames em si mesma mensalmente

Enquanto pesquisas da sociedade americana do câncer recentemente revisou suas diretrizes sobre auto-exames de mama, observando que não há pesquisa suficiente para apoiar seus benefícios claros, os especialistas concordam que eles ainda são importantes—e não há absolutamente nenhuma desvantagem. Sabendo qual é a sua base, para que possa reconhecer imediatamente quando algo se sente novo ou diferente é fundamental.

Essa ainda é uma das formas mais eficientes de aferir os sintomas do câncer de mama, os quais tendem a ser muito silenciosos. Por isso, descobri-los cedo é importante para que o tratamento seja mais efetivo e não tão rigoroso.

Programe mamografias anuais

As mulheres que têm um risco médio de câncer de mama devem começar a fazer mamografias anuais, raios-x básicos da mama, de acordo com a American Cancer Society. No entanto, tem havido muita controvérsia nos últimos anos no que diz respeito à idade e frequência. Os peritos recomendam discutir os seus factores de risco com o seu médico para determinar se uma mamografia antes dos 40 anos é adequada para si, segundo a opinião de especialistas. 

Saúde

A vitamina E é uma substância essencial para o corpo humano, tendo assim uma grande importância para o organismo. Ela é um nutriente antioxidante, ou seja, tem a função de proteger as células contra os danos causadas por agentes oxidantes, como, por exemplo, os radicais livres.

Essa vitamina também tem diversas outras funções importantíssimas para o corpo humano, veja abaixo quais são elas:

  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Sinalização de células;
  • Prevenção de doenças cardiovasculares;
  • Rejuvenescimento da pele;
  • Tratamento do Alzheimer;
  • Tratamento da anemia;
  • Tratamento de desordens sanguíneas;
  • Tratamento de demência e outras complicações de ordem cerebral;
  • Renovação celular da pele;
  • Controle de dores menstruais.

Como obter a Vitamina E?

Vários alimentos de origem animal e vegetal são fontes de Vitamina E, como, por exemplo, quase todos os vegetais escuros e os peixes como a sardinha e o salmão. Veja abaixo outras fontes dessa importante vitamina:

  • Óleo de gérmen de trigo;
  • Cereais;
  • Óleos vegetais;
  • Carnes;
  • Ovos;
  • Óleo de girassol;
  • Semente de girassol;
  • Espinafre;
  • Castanha-do-pará;
  • Aspargo;
  • Pistache;
  • Abacate;
  • Manga;
  • Kiwi;
  • Amora;
  • Abóbora;
  • Brócolis;
  • Acelga;
  • Azeitona;
  • Fígado de galinha;
  • Fígado de boi;
  • Bacalhau;
  • Agrião;
  •  Linhaça;
  •  Soja;
  •  Banana;
  • Milho;
  • Amendoim.

Qual a recomendação diária de Vitamina E?

A recomendação diária de vitamina E varia de acordo com as fases da vida de cada pessoa podendo chegar até 15 mg/dia. Ressaltando que não é recomendado o consumo exagerado dessa vitamina, pois, isso pode causar vários efeitos reversos, podendo  mesmo provocar até a morte.

Saúde

5 HTP é a sigla utilizada para designar o 5 hidroxitriptofano, uma substância natural encontrada nas sementes de uma planta africana, chamada griffonia simplicifolia.

Nos seres humanos, o 5-HTP funciona da mesma forma que o triptofano, um percursor do neurotransmissor serotonina.

A serotonina possui diversas funções importantes para o corpo humano como regular o sono, memória, humor, apetite, aprendizagem, comportamento sexual, regulação endócrina, contrações musculares e a temperatura corporal.

BENEFÍCIOS DO 5 HTP

Veja abaixo os benefícios proporcionados pelo uso frequente do 5 HTP.

PERDA DE PESO

O 5 HTP proporciona uma maior sensação de saciedade após as refeições, o que leva a uma ingestão calórica menor e consequentemente pode ocorrer uma perda de peso.

INSÔNIA

A ingestão de 5 HTP contribui para a melhora da qualidade de sono, assim além de conseguir adormecer com mais facilidade, quem consome o suplemento tem um sono mais profundo, além de dormir por mais tempo.

DISTÚRBIOS PSICOLÓGICOS

Com a sensação de bem-estar causada pelo 5 HTP ele se torna uma ótima opção contra distúrbios psicológicos como ansiedade, depressão, estresse, e até nos ataques de pânico.

REDUÇÃO DE DORES FÍSICAS

O 5 HTP apresenta funções analgésicas, sendo capaz de auxiliar na redução de dores físicas, principalmente em casos de fibromialgia e enxaqueca.

COMO USAR O 5 HTP?

O 5 HTP deve ser ingerido em uma das suas doses de 25, 50 ou 100 mg cerca de 1 a 3 vezes ao dia, que irá variar conforme a indicação médica.

CONTRAINDICAÇÕES

Não é recomendo o uso do 5 HTP por menores de 18 anos, pacientes com insuficiência renal crônica e mulheres grávidas.

Alimentação Saudável, Saúde

Como baixar triglicerídeos naturalmente – Veja essas dicas

Saiba como baixar triglicerídeos naturalmente, apenas com alimentação.

Confira.

Diferente da preocupação com o colesterol, muitos pacientes que recebem um diagnóstico de altos níveis de triglicerídeos no organismo acabam não dando tanta importância ao fato.

Entretanto, quando são negligenciados, os níveis elevados de triglicerídeos também podem estar associados a fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes, e até doenças coronárias.

Por isso, é importante que se tenha cuidado e mantenha o corpo protegido de possíveis doenças causadas pelo triglicerídeos em níveis alarmantes.

E para prevenir esse problema e suas consequências, trouxemos aqui 5 dicas sobre como baixar os altos níveis de triglicerídeos de forma natural.

Como baixar triglicerídeos naturalmente

 

  1. Substitua frituras e alimentos

    baixar triglicerídeos naturalmente
    Chá verde ajuda a baixar triglicerídeos naturalmente

    processados por verduras, hortaliças e legumes

Faça a opção de uma refeição saudável, com verduras e hortaliças. Estes alimentos ajudam a reduzir os níveis de gordura no sangue, diminuindo dessa forma o excesso de triglicerídeos da corrente sanguínea.

  1. Esqueça os refrigerantes, tome muita água

Refrigerantes são um prato cheio para níveis excessivos de gorduras em nosso sangue, além do excesso de glicose desregulada que eles podem causar. Se você deseja baixar triglicerídeos naturalmente, a dica aqui é eliminar os refrigerantes de sua dieta e começar a tomar água. Pelo menos 2 a 3 litros por dia é o recomendado.

  1. Tome chás naturais

Chás à base de ervas naturais são excelentes para redução do excesso de energia acumulada que se converte a gorduras no sangue. Isso porque além de termogênicos, que ajudam na queima de calorias, a maioria dos chás naturais são diuréticos, em especial o chá verde.

  1. Faça exercícios físicos

Não há dúvidas, para reduzir o excesso de triglicérides, deve-se abandonar o sedentarismo e incluir as atividades físicas em sua rotina. Pode ser uma atividade leve, como uma caminhada, como também uma intensa. O importante é movimentar o corpo.

  1. Durma bem

Um sono de qualidade também auxilia na redução dos excessos de gordura no sangue. Por isso a dica é dormir o mais tranquilo possível por pelo menos 8 horas diárias.

Agora que você já sabe como baixar triglicerídeos naturalmente, mãos a obra para manter seu corpo saudável e definido.

Dicas de Saúde, Remédios, Saúde

A impigem é uma infecção na pele (micose) causada por fungos, que apresenta os seguintes sintomas: manchas avermelhadas com bordas que aumentam, coceira na pele, escamação na pele, pequenas vesículas de líquido claro que mais tarde se secam, amarelam ou ficam vermelhas.

As lesões causadas pela impigem são bem incomodas, mas você pode usar alguns remédios caseiros para ajudar no tratamento da doença. Lembrando que é sempre importante consultar um médico.

Vinagre de maçã

Com propriedades antibióticas e antimicóticas o vinagre de maçã é um bom remédio caseiro contra a impigem.

Modo de usar

Umedeça um pedaço de algodão com o vinagre de maça e passe sobre a lesão. Deixe secar naturalmente. Repita entre 3 e 5 vezes por dia.

Alho

Assim como o vinagre de maçã o alho possui propriedade antimicóticas, sendo indicado para o tratamento caseiro da doença.

Modo de usar

Descasque um dente de alho e corte-o em rodelas, e coloque sobre a impigem. Deixa agir durante toda a noite e retire pela manha. Repita todos os dias durantes uma semana.

Repolho

O repolho é indicado para acalmar o prurido causado pela lesão.

Modo de usar

Leva algumas folhas de repolho e depois amasse bem, até formar uma pasta. Passe essa pasta sobre a lesão, deixe no local por algumas horas, depois lave normalmente.

Açafrão

Por ser um anti-inflamatório natural o açafrão ajuda a secar as lesões da impigem.

Modo de usar

Faça uma pasta com um pouco de açafrão e vinagre de maça e coloque sobre a lesão. Use duas vezes por dia.

Babosa

A babosa é um ótimo remédio natural para diversos problemas na pele.

Modo de usar

Corte a babosa e passe o gel dela sobre as lesões, deixe secar naturalmente. Repitas várias vezes por dia.

Saúde

Pré Menopausa – Entenda como Ela Pode te Afetar e Como Combatê-la

A menopausa é o período onde toda as mulheres passam. É, basicamente, uma fase de transição entre o período fértil ou não da mulher, onde seu corpo já não mais corrobora para que seu sistema reprodutor funcione devidamente.

Essa nova fase, caracterizasse por reduzir a quantidade de hormônios sexuais ativos na vida da mulher. Essa redução hormonal passa a gerar inúmeros outros efeitos no corpo, como a menopausa e menos prazeres sexuais, que antes se mostravam mais ativos.

Como a pré-menopausa de evolui

A verdade é que a pré-menopausa não é diferente da menopausa comum. O que diferencia um caso do outro, é que seu período acaba sendo efetivo de maneira mais rápida e antes do esperado.

Nesta fase de transição, cada organismo acaba se diferindo com sua evolução. Em geral, a maioria das mulheres diagnosticadas com menopausa precoce se mostram em transição por 10 anos ao todo, podendo ser mais rápido ou mais lento, dependendo da mulher.

Principais sintomas

  • Ciclo menstrual menos intenso e gradativamente menor;
  • Insônia e irritabilidade durante o período de menstruação;
  • Diminuição de desejo sexual;
  • Espaço periódico entre um ciclo e outro cada vez maiores.

Tratamento

Em primeiro lugar, é necessário que seja sempre examinada por um médico. Deste modo ele poderá te indicar o melhor medicamento. Porém, os mais utilizados são os anticoncepcionais e DIU Mirena, que possuem uma quantidade grande hormônios, que podem ajudar a aliviar os sintomas da pré-menopausa.

Além disso, pode-se também encontrar alternativas através dos remédios naturais, que apresentam uma menor possibilidade de riscos como consequências. Os principais remédios são: a Erva de São Cristóvão, que possui inúmeras propriedades analgésicas e anti-inflamatórias ou então se aproveitar dos benefícios da couve-flor, que por conta da sua alta quantidade de magnésio, essencial para o alívio dos sintomas!

Temos também os suplementos naturais! Estes, são baseados em cromo e magnésio, que também são capazes de anular ou controlar os sintomas da pré-menopausa. E a Linhaça, que é rica em fitosterol, que possui as mesmas propriedades que o estrogênio, o hormônio feminino.

Saúde

Tatuagem pode ser definida como um desenho permanente feito na pele a partir do depósito de pigmentos insolúveis coloridos, ou não. Geralmente, a tatuagem é feita com agulhas especiais que atingem a segunda camada da pele, na região da derme.

Nos dias de hoje se tornou muito comum e fácil a prática de tatuar o corpo, nas cidades podemos encontrar diversos estúdios de tatuagem, além de profissionais especializados nesse trabalho.

Mas você sabia que a apesar de parecer uma coisa simples as tatuagens podem trazer alguns riscos para a saúde? Veja abaixo quais são eles:

  • O primeiro problema que pode acontecer com quem faz uma tatuagem é o surgimento de uma reação alérgica as tintas utilizadas, especialmente as cores vermelhas, verdes, amarelas e azuis. Essa alergia pode acontecer logo quando a tatuagem foi feita ou algum tempo depois.
  • A pele que foi tatuada pode apresentar um quadro de infecção, principalmente se o desenho foi feito em um lugar com baixas condições sanitárias. Pois, o tatuador precisa tomar uma série de cuidados para evitar que bactérias atinjam o lugar tatuado.
  • A queloide, que é crescimento excessivo do tecido de cicatrização no local de um ferimento já curado, é outro risco que pode acontecer ao se fazer uma tatuagem.
  • Assim como as infeções quem se tatua em locais com baixa condição sanitária fica exposto à doenças transmitidas pelo sangue, como a hepatite B, hepatite C e o tétano.
  • Queimadura em caso de ressonância magnética: nesse caso a pele tatuada pode reagir no momento do exame, provocando inchaços e ardor no local tatuado. O desenho também pode interferir na qualidade da imagem, e dificultar o diagnóstico de alguma doença.

E para quem está decidido a fazer uma tatuagem sabendo de todos esses ricos a dica é: procure um local e um profissional qualificado.